15 de maio de 2008

Falsos mestres não merecem hospitalidade.

“Se alguém chegar a vocês e não trouxer esse ensino, não o recebam em casa nem o saúdem” 2 João 10.

Aquele que ainda não presenciou a pregação de um falso mestre atire a primeira pedra. Eles estão em toda a parte. E o início dessa história toda se dá na igreja primitiva. O apóstolo João, já na sua velhice, escreve a segunda epístola chamando a atenção para um problema na hospitalidade. Não que a hospitalidade em si fosse um problema, nunca foi. O foco do problema estava em ser hospedar hereges. Nos tempos do Novo Testamento ser hospitaleiro era um dever de todos, principalmente dos cristãos.

Na época, com o crescimento de “pregadores itinerantes” surgiu essa questão: a hospitalidade a falsos mestres (talvez pensando-se que eram verdadeiros). A petição do apóstolo é dura, já que todos crentes tinham prazer em serem hospitaleiros, ainda mais para pregadores do evangelho. Mas com o surgimento dos gnósticos primitivos, surgiram também as primeiras heresias “cristãs”. Esses hereges viajavam pelas cidades, assim como os verdadeiros pregadores.

João pediu aos seus destinatários - ou à sua destinatária – que não recebessem pessoas com um falso ensino e nem saudassem esses falsos mestres nas ruas.

A pergunta é a seguinte: e nós, como temos reagido frente a esses mestres? Muitos líderes além de aceitarem esses falsos pregadores, convidam os mesmos para pregar em suas igrejas. E as heresias se proliferam. Animadores de púlpitos, motivadores, anuladores da graça, legalistas ou antinomistas, tanto faz. Cobram preços exorbitantes, enriquecem a custa dos incultos e tornam-se “milionários do evangelho”.

E nós o que fazemos? Nós idolatramos essa gente. Fazemos até ranking pra saber quem é o melhor pregador do país. Enquanto isso o evangelho padece. Realmente é hora de acatar de forma mais profunda o conselho de João: não pregou Cristo, o filho de Deus? Rua! E não volte mais!

Voltemos ao evangelho da graça de Cristo!

Edificados Sejamos!

3 comentários:

Vitor Hugo da Silva disse...

Bom dia!

Como bem disse o teólogo reformado John MacArthur: "A heresia vem montada nos lombos da tolerância".

Não precisamos ser mau educados, rudis, ou ríspidos, mas devemos combater com coragem estas novas ondas de "unção" que tem invadido o seio cristão, principalmente pentecostal. A mensagem do evangelho é inegociável (Gl. 1:8).

A frase de MacArthur demosntra muito bem o porque da existência de heresias em nosso meio, a tolerância. Aceitamos tudo que é novo, queremos novidades, muitos já não aceitam a simplicidade da pregação do Evangelho.

Um abraço!

Vitor Hugo

Rodrigo de Aquino disse...

Gostei do texto, e acredito que nossa tarefa seja:
1 - nao se tornar um desses, afinal, no início do ministério desses hereges eles tinham corações puros e amor a obra...
2 - pregar a Cristo crucificado...
3 - procurar ser sempre sincero...

soh quero elucidar a frase que escreveram "enriquecem a custa dos incultos"

o conceito de cultura é muito amplo, sendo por isso quase impossível dizer que alguém nao tenha cultura.
as pessoas que enriquecem esses "pregadores" tem uma cultura que valoriza esse "show", é uma cultura oral que nao valoriza a escrita. é a cultuta deles...

Rodrigo

Thiago Rodrigo e Elinéias Fabrício disse...

Bibo,

Muito oportuno seu comentário. No início todos são humildes. Mas é só fazerem a primeira viagem de avião que as coisas mudam radicalmente.

Olhando para tudo isso, só temos uma coisa a fazer: não seguir esses exemplos - como você mesmo escreveu.

Abraços!